A Educação profissional é a base da profissão.

A Educação profissional é a base da profissão.
Arquivo HighPluss Treinamentos, 2017.

sábado, 11 de outubro de 2014

Radares e obras previstos para reduzir acidentes

Quem passa pela BR-376 com um olhar mais atento encontra marcas em praticamente todos os trechos. Muretas quebradas, proteções metálica tortas, marcas de frenagem na pista e também no acostamento.
Para frear o embalado aumento de acidentes, planos. O chefe de operações da Autopista Litoral Sul, Antônio Cesar Ribas Saas, acredita que os acidentes acontecem por imprudência dos motoristas. “A velocidade empregada é além do permitido, os caminhões trafegam com excesso de peso”, explica. Para ele, a pista está em boas condições
A Autopista promete investimentos na descida da Serra do Mar. Perto da conhecida Curva da Santa, no km 670, deve ser instalado um radar. Outro equipamento eletrônico desse tipo está previsto para o km 675.
E se mesmo assim alguém ficar sem freios e não conseguir segurar o veículo, a Autopista vai construir uma caixa de escape no quilômetro 675. Como o trecho é uma descida em reta, muitos veículos, principalmente os caminhoneiros que insistem em não usar o freio motor, perdem-se. Para não bater em outros carros, o motorista joga o carro para o acostameto. Um acabamento de argila fará o veículo parar.
Para o inspetor Fabiano Moreno, da Polícia Rodoviária Federal do Paraná, o principal problema é o excesso de velocidade e de confiança dos motoristas. Se todos utilizassem o freio motor, seria mais difícil que ocorressem acidentes. “Como não utilizam o recurso desde o início da serra, quando chegam no fim o freio não segura mais”, diz ele.
Foi o que ocorreu na manhã de 4 de setembro um acidente no km 675 tirou a vida de um menino de 4 anos. Um caminhão Scania ficou sem freios, bateu em um Pálio e depois em um Gol, com seis pessoas dentro – entre elas, a criança, que morreu na hora.
Fonte: A Notícia
Publicado em 14/09/2014 no Blog do Caminhoneiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário